Meio&Mensagem

Leões Brasileiros

As agências brasileiras encerraram sua participação no Cannes Lions 2021 com 67 Leões nas 28 competições do festival: 3 Grand Prix, 13 Leões de Ouro, 17 de Prata e 34 de Bronze — o menor número de prêmios em Cannes desde 2012 (em 2011 foram 65; e o recorde são os 116 de 2014). Nunca antes na história do Cannes Lions o Brasil havia conquistado três Grand Prix em uma só edição.

No júri de Entertainment for Sport, o case escolhido para Grand Prix foi “Salla 2023”, criado pela Africa para House of Lapland, órgão que promove a região da Lapônia, no extremo norte da Finlândia, como destino de viagens e negócios. A ação, mais premiada no festival desse ano entre as campanhas criadas no Brasil, apresenta a inusitada campanha da pequena cidade finlandesa de Salla, que sofre as consequências das mudanças climáticas no Círculo Polar Ártico, a sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 2032. Esse foi o segundo Grand Prix em Cannes da história da Africa, que, em 2018, conquistou o prêmio principal de Print & Publishing, com “Tagwords”, para Budweiser.

A Africa foi a agência brasileira mais premiada de 2021, com folga, somando 1 Grand Prix, 6 Ouros, 4 Pratas e 10 Bronzes. O pódio nacional se completa com AKQA (3 Ouros, 5 Pratas e 4 Bronzes) e VMLY&R (1 Grand Prix, 1 Ouro, 4 Pratas e 3 Bronzes), que foi nomeada a Agency of the Festival na track Good do Cannes Lions.

A performance da VMLY&R foi coroada com o Grand Prix de Glass, conquistado pela primeira vez pelo mercado brasileiro, com o case “Eu Sou”, criado para Starbucks, que ajudou pessoas trans a mudarem seus nomes oficialmente. É também o primeiro Grand Prix em Cannes do escritório brasileiro da agência e das duas marcas que a originaram no ano passado: VML e Y&R.

O mesmo ocorre com a Gut, já na primeira participação em Cannes da jovem agência fundada em 2018 pelo brasileiro Anselmo Ramos e o argentino Gaston Bigio, ambos egressos da David, do Grupo Ogilvy, no WPP. O Grand Prix foi conquistado na área de Entertainment for Music, com “Parada no Feed”, ação criada para o Mercado Livre, que realizou uma ocupação virtual da Avenida Paulista, no Instagram, após o cancelamento da Parada do Orgulho em São Paulo, no ano passado. É a segunda vez seguida que o Brasil conquista o prêmio máximo em Entertainment for Music no Cannes Lions, já que, em 2019, a AKQA foi premiada com “Bluesman”, clipe criado para o cantor Baco Exu do Blues. A Gut foi apontada pelo Cannes Lions como a melhor agência independente na track Entertainment.

Na sexta-feira, 25, foi oficializado o Grand Prix de Glass, adiantado por Meio & Mensagem na terça-feira, 22, para “Eu Sou”, criado pela VMLY&R para Starbucks. Foi o único prêmio brasileiro nesta categoria em 2021.

A VMLY&R conquistou ainda 1 Ouro e 1 Bronze em Sustainable Development Goals com o case "The Commitment", para CCWD.

Em Film, o Brasil ganhou 1 Prata ("Let Her Run", da Africa para SporTV) e 5 Bronzes (“Nós assistimos tudo”, da AKQA para Netflix, “Cidade Inerte”, da Wunderman Thompson para ONU, “BK na madruga”, da David para Burger King; “Salla 2032”, da Africa para House of Lapland; e "Let Her Run", da Africa para SporTV).

Ainda foram divulgados nesta sexta, os resultados de Titanium, área em que o Brasil não foi premiado.

O destaque da quinta-feira, 24, foi a AKQA, que conquistou 2 Ouros, 1 Prata e 1 Bronze em Mobile (“Stranger Antena”, para Netflix, ganhou 1 Ouro e 1 Prata; “Código da Consciência”, para Instituto Raoni, 1 Ouro e 1 Bronze); e 1 Ouro e 1 Prata em Radio & Audio (ambos para "Becks Frequency", para cerveja Becks). Em Mobile, ainda houve 1 Ouro para “Feed Parede”, da Gut para Mercado Livre. E, em Radio & Audio, 1 Bronze para "Alexa's Burnout", da Africa para Associação Brasileira de Psiquiatria.

Em Brand Experience & Activaction, o Brasil conquistou 1 Ouro e 1 Prata com "#GoEqual”, da Africa para Go Equal Movement; 1 Prata com “Eu Sou”, da VMLY&R para Starbucks; e 1 Bronze com “Marcas na Lata”, da Soko para Guaraná Antarctica.

Outras duas áreas divulgaram resultados na quinta, com 1 Bronze para o Brasil em cada: Creative e-commerce (“Shopping Inside Songs”, da Ogilvy para Magazine Luiza) e Creative Business Transformation ("Ela Santander", da VMLY&R para Santander).

O Brasil ficou sem prêmios em Innovation e Creative Effectiveness.

Na quarta-feira, 23, foram confirmados os dois Grand Prix do Brasil, que Meio & Mensagem noticiou no sábado. Um dos dois Grand Prix de Entertainment for Sport ficou com a Africa, pelo case “Salla 2032”, criado para para House of Lapland, órgão que promove a região da Lapônia, no extremo norte da Finlândia, como destino de viagens e negócios. E um dos dois Grand Prix de Entertainment for Music foi para o case “Parada no Feed”, da Gut para Mercado Livre. Esse foi o único prêmio brasileiro em Entertainment for Music.

Já em Entertainment for Sport, o País conquistou ainda 1 Prata (“Streamers em Perigo”, da VMLY&R para Greenpeace) e 3 Bronzes (“Let Her Run”, da Africa para Sportv; “Flamengaço”, da Ogilvy para Adidas; e “Hino”, da VMLY&R para Santander).

Em Entertainment, o especial de Natal “Juntos a Magia Acontece”, da WMcCann para Coca-Cola, exibido pela Globo no fim de 2019, conquistou um Leão de Ouro. Houve ainda 1 Prata (“Dance Awakening”, da AKQA para Nike) e 1 Bronze (“HerShe”, da BETC Havas para Hershey’s) para o Brasil.

A quarta-feira teve ainda os resultados de três categorias mais técnicas. Em Industry Craft, a Africa conquistou Ouro com "O Valor da Notícia", para Folha de S.Paulo. Publicis (“Cozinha às cegas”, para Maggi) e BETC Havas (“HerShe”, para Hershey’s) conquistaram Bronzes. Em Digital Craft, a AKQA conquistou Prata com “Código da Consciência”, criado para o Instituto Raoni. E em Film Craft, houve apenas um Bronze para “Cidade Inerte”, da Wunderman Thompson e Saigon para ONU.

Na terça-feira, 22, saiu o resultado de PR, com o case “Salla 2032”, da Africa, conquistando quase todos os prêmios brasileiros: 2 Ouros e 1 Bronze. Houve um segundo Bronze para “Jesus our Supporter”, da Ogilvy para Adidas.

Em Direct, mais 1 Ouro e 1 Bronze para “Salla 2032” e um segundo Bronze para Africa, por “Responsible Billboards”, para ABInbev.

Também foram divulgados na terça os resultados de Media: 2 Pratas, sendo uma para VMLY&R e Suno United Creators (“A Gente Banca”, para Santander), e outra para Cheil (“Anti Bullying Skin”, para Samsung); e dois Bronzes para AKQA (“Silence”, para Deezer) e Soko (“She Can”, para Guaraná Antarctica). Essas duas agências, AKQA e Soko também ganharam uma Prata cada, respectivamente nas áreas de Creative Data (“Código da Consciência”, para Instituto Raoni) e Creative Strategy (“She Can”, para Guaraná Antarctica). Em Social & Influencer, Bronzes para Africa (“Go Equal”, para Go Equal Movement) e FCB (“SweetBlock”, para Abraji e Congresso em Foco).

Das áreas que tiveram resultado divulgado na segunda, 21, o Brasil se saiu melhor em Outdoor (1 Ouro, 3 Pratas e 2 Bronzes) e Print & Publishing (1 Ouro, 1 Prata e 3 Bronzes).

A AlmapBBDO conquistou o único Ouro do País em Outdoor, com “Backstage”, para Havaianas. As Pratas foram para “O Valor da Notícia”, da Africa para Folha de S.Paulo; “A Gente Banca”, da VMLY&R e Suno United Creators para Santander; e “Doritos Wasabi”, da AlmapBBDO para Doritos (PepsiCo). E os dois Bronzes foram para a AlmapBBDO, por “Doritos Wasabi” e “The Hunger Cast”, para Snickers.

Em Print & Publishing, destaque para “O Valor da Notícia”, da Africa para Folha de S.Paulo, que conquistou 1 Ouro e 1 Prata. Houve ainda 3 Bronzes para “Filho”, da Leo Burnett Tailor Made para ABTO; “Racismo Descoberto”, da Africa para Museu Afro Brasil; e “Moda Verdadeira”, da AlmapBBDO para Havaianas.

Há ainda 1 Prata em Outdoor para o case “In Someone Else’s Shoes”, que foi inscrito no Cannes Lions pela produtora de som brasileira Tesis, mas foi criado pela Arnold Boston para o Santander, com o brasileiro Ícaro Doria como chief creative officer.

Em Pharma, foram 1 Prata (“Idverse”, da Havas Health & You e Estúdio Colletivo Design) e 1 Bronze (“Beautiful Dreamer”, da TracyLocke para Pfizer) para o Brasil, além disso, as produtoras Canja Audio e Fuze Images, ambas de Curitiba, participam do case vencedor do Grand Prix: “Sick Beats”, da Area 23 New York para Woojer. Já em Health & Wellness o Brasil não conquistou nenhum troféu.

Em Design, o Brasil conquistou 2 Bronzes, com trabalhos de Africa ("Salla 2032", para House of Lapland) e AKQA (“Código da Consciência”, para Instituto Raoni).

Confira todos os Grand Prix e Leões brasileiros divulgados oficialmente na seção Leões deste site, e as campanhas brasileiras finalistas em Shortlists.

Patrocínio