Meio&Mensagem
Publicidade

Cannes Lions

17 A 24 DE JUNHO DE 2017 | CANNES - FRANÇA

Oath revela suas metas até 2020

Companhia formada da fusão entre AOL e Yahoo projeta receita anual entre US$ 10 bilhões e US$ 20 bilhões

Roseani Rocha
19 de junho de 2017 - 10h48

Tim Armstrong, CEO da Oath (centro) detalha as metas da nova empresa (Crédito: Eduardo Lopes)

 

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 19, no hotel Majestic, em Cannes, Tim Armstrong, CEO da Oath – a empresa surgida a partir da fusão entre a AOL e o Yahoo – deu detalhes sobre a configuração da nova operação.

“Temos um compromisso, até 2020, de tentar chegar aos dois bilhões de consumidores”, afirmou. Atualmente, combinando AOL e Yahoo são 1,3 bilhão de clientes atingidos mensalmente e um trilhão de pedidos de inserção publicitária atendidos. Com isso, a empresa espera, nesse período ter uma receita anual variando entre US$ 10 bilhões e US$ 20 bilhões. Uma vez que essa variação é bastante grande, Armstrong explicou que o primeiro número é algo já mais tangível para a companhia que se formou entre as duas empresas e o segundo é um número “mais aspiracional”.

Hoje, são mais de 50 marcas de mídia e tecnologia no portfolio da companhia, entre as quais AOL.com, TechCrunch, Flickr, Tumblr, Verizon Digital Media Services, Yahoo Sports e HuffPost. Se o Facebook é conhecido por suas habilidades em social e o Google, por search, a Oath quer ser referência em branding para o mercado, ou seja, que os anunciantes saibam que as marcas da Oath são lugares seguros para fazer marketing. Tim Armstrong enfatizou o quanto os anunciantes clamam por opções eficientes e transparentes no mundo digital (o que não deixou de ser uma alfinetada nos concorrentes citados pelos problemas enfrentados nos últimos anos).

O executivo explicou que o grande objetivo da fusão era ganhar escala e ressaltou que a companhia pretende realizar uma expansão global, com destaque para países como a China. Embora a América Latina e o Brasil também sejam importantes para a companhia nesse plano de expansão e tenham tido crescimento significativo nos últimos dois anos, eles não detalham qual teria sido essa taxa de crescimento.

Hoje, a empresa já é, segundo seu CEO, praticamente do tamanho da Netflix e seu futuro terá como focos mobile e vídeo. Embora esteja em 40 países e seu mercado mais forte seja naturalmente os EUA, Armstrong ressaltou que a população de seu país é somente 4% da população global e a Oath não é uma empresa para 4% das pessoas.

A aquisição do Yahoo pela Verizon foi anunciada semana passada, pelo valor de US$ 4,5 bilhões – além da renúncia da CEO do Yahoo, Marissa Mayer, outra consequência da fusão foi a redução de 15% da força de trabalho das duas empresas combinadas e, hoje, a Oath possui 12 mil funcionários.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Tim Armstrong

  • AOL

  • Oath

  • Verizon

  • Yahoo

  • fusão

  • mídia

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio